sexta-feira, 2 de maio de 2008

Saudades e Resgate de Amigos


"Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue."


Estou numa onda nostálgica. Em breve devemos nos mudar para nosso cantinho, momento este que eu tanto esperei. Estou há um ano ansiosa para acabar com minha peregrinação casa de mãe - casa de sogra, e agora faltam poucos dias. E isso me deixa feliz, mas enche minha alma de nostalgia.

Perdi minha lista de convidados num pendrive que queimou, e refazendo-a, fui revivendo pessoas e momentos da minha vida. Lembrei de tanta gente passou, e de tanta gente que queria que estivesse tão perto, e está tão longe.

Conversei com minha mãe, que tem se feito de forte diante de meu início de mudança. E ela, sábia como sempre, me consolou. "Quando a gente cresce e assume as responsabilidades da vida adulta não dá pra ter amigos como era antes. Não temos tardes juntos, não ficamos mais horas pendurados ao telefone, não dá pra ver todo dia na entrada do colégio ou no fim da aula da faculdade. E quando chega o fim de semana estão todos tão cheios de programas que acabamos deixando pra depois..."

Quando nos encontramos ou nos escrevemos fica sempre um "vamos marcar". Aquele que a gente sabe ser uma promessa vaga que a gente aceita pra não se sentir tão culpado.

A verdade é que bate culpa mesmo, porque achamos que a responsabilidade é nossa.
Mas não é. Não há responsabilidade por assim dizer, não há culpa por assim dizer, há a vida levando a gente ao diploma, ao trabalho, ao casamento às tarefas do lar...

Parei pra pensar na semana passada que todas as vezes que saí com meus amigos fui eu quem liguei. Amo encontrá-los, faz bem para mim, para minha pele, para minha vida. Estou correndo atrás, mas me sinto cansada de tentar ter uma vida que não cabe na minha.

Fiquei imensamente feliz com duas ligações de minhas madrinhas: uma me chamando pra sair no meio da semana e dando altas risadas até de madrugada, e a outra avisando que vem antes do casamento para me curtir nos meus últimos dias de solteira. Fiquei radiante.

Estou manifestando meu amor por todos em mais uma tentativa: convidando-os para fazerem parte da comemoração de minha união. É um re-convite, do gênero "RETORNEM PARA MINHA VIDA".

Senão eu paro com essa onda estômago-esvaziante de saudade e vou investir só nos novos amigos.




3 comentários:

Zeza disse...

ai ai... amigos, amigos. Ame-os ou ame-os, né? Tão dificil deixá-los....

beijo Emmi!

β. disse...

poxa, marlóvsky, aquele nosso papo rendeu, né?
estou sempre aqui pro q precisar, ali na janelinha do msn =]

Mi disse...

Desapegar dos amigos é difícil, mas a vida vai nos empurrando, não tem jeito!
Alguns só encontro em eventos sociais! (Como o seu chá!)