quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Saindo da barra da saia da mamãe



Definitivamente, minha experiência de noiva confirma o que as casadas já sabem: mãe muda quando a gente anuncia o casamento.

Dizem que quando a gente sai de casa é que viramos a melhor filha do mundo. Felizmente a maioria dos seres humanos tem a grande tendência de se lembrar do que era bom, o passado é bonito, florido, difícil mesmo é viver o presente.

Pais são certamente seres nostálgicos, e adoram lembrar da gente quando era bebê, quando era criança, quando falava errado. E adoram contar a mesma história para as visitas que encontram um porta-retrato no aparador (pode reparar, aparador de mãe com filho criado vira túnel do tempo fotográfico).

Por mais que afirmem, do auge de seu estado psico-analisado “Criei para o mundo, e não para mim”, na hora do vamos ver ninguém quer entregar a filhinha ao implacável mundo cruel de mão beijada.

É um pouco de dor de perda antecipada, como se a gente fosse embora e não fosse voltar mais. E a gente vira bebê de novo, cheio de mimos.

Aí antes de todo mundo comer ela separa seu almoço. Você chega em casa e tá tudo prontinho, arrumadinho, lanche diferenciado na mesa, suquinho de caixinha “e uma maça para comer no meio da manhã”. E viro diminutivo: a filhinha bonitinha queridinha.

Não fico cansada, fico cansadinha, com fomezinha, doentinha...
Adoooro. Adoro mimos e atenções.

Ninguém me convence de que há alguém que não adore isso, mesmo que empurre a mãe quando ela dá aquele abraço apertado ou aquele beijo babado do nada, no meio da cozinha:

“Saaaai mãe. Páara.” (só pra não perder o hábito mesmo).

4 comentários:

Roberta disse...

é, de longe tudo é mais bonito.
eu virei a filhinha queridinha da mamãezinha tb.
e nem precisei casar, só mudar de cidade.
hoje mesmo chegou uma caixa gigante pela varig log. um presente de natal trocado, um cartão cheio de saudade e um conjunto de pano de prato + luva + tapete + jogo americano pra cozinha.
pq na real elas não querem admitir q a gente cresceu, mas adoram ver q isso aconteceu.
beijo.

Vitor disse...

Como é inteligente essa minha amiga ,viu?!

Dá um orgulho!!!

- Literatura e Música - disse...

"a filhinha bonitinha queridinha"

vc sempre foi, só tava escondido pela rotina, e uma pancada como essa é excelente pra revivar os sentimentos q importam!!!

(putz, auto-ajuda de quinta...)

ehehehe

lu aith disse...

Se tenho uma lembrança sofrida do meu casamento, foi a saída da casa dos meus pais...